Novas formas um novo teatro + infos

NOVAS FORMAS UM NOVO TEATRO

Mãe Arrependida

Um convite para uma viagem pelo lado sombrio e oculto da maternidade, uma confissão de quem nunca lidou bem com essa experiência. O olhar sobre a maternidade se desloca, permitindo uma reflexão particular de cada espectador, mães e filhos.

Artista/Coletivo: Karla Tenório

Data: 12.12

Horário: 18h

O Desmonte

A peça está ambientada em um apartamento, onde um homem vive sozinho avesso a amigos e visitas após o término de uma relação que anuncia a chegada de tempos tristes. No entanto, na madrugada de mais uma noite solitária, ele recebe a visita inesperada de um rato que aparece para destruir tudo e dar novo sentido à sua vida.

Artista/Coletivo: Caboclas Produções

Data: 12.12

Horário: 18h

Vazante

As irmãs Kassandra e Gyselle estão em isolamento social em meio à pandemia e, no dia de seu aniversário de 40 anos, decidem organizar uma festa virtual com a ajuda do público. Os espectadores são divididos em dois grupos e cada metade acompanha apenas uma das irmãs. Conforme a festa vai sendo preparada, memórias de infância e detalhes de suas vidas cotidianas são revelados, fazendo emergir traumas e limites impostos a cada personagem. No segundo ato, o público presencia o encontro das irmãs após descobertas que mudarão suas vidas para sempre.


Artista/Coletivo: Coletivo Teatro A Digna

Data: 12.12

Horário: 19h

Os Últimos Três Dias

O ator João Signorelli amplia seu repertório de monólogos e enfrenta o desafio de interpretar Fernando Pessoa. O interesse pelo poeta de inúmeras vozes já era antigo. O diretor Fauzi Arap dirigiu Maria Bethania, em dezembro de 1996, no show em que ela completava 50 anos. Desde então, João pensa em unir poesia e drama no teatro. O monólgo será dedicado a Arap, amigo pessoal do ator e, embora fale dos últimos três dias de Pessoa, em que esteve internado no Hospital São Luis dos Franceses, em Lisboa, vítima de pancreatite, o humor está presente. Pessoa faz um balanço bastante peculiar neste dias em que sabia estar próximo da morte, que ele próprio havia previsto.

Artista/Coletivo: João Signorelli

Data: 12.12

Horário: 19h

Uma Mulher Só

Trancada em sua casa pelo marido, uma mulher se alegra com a chegada de uma nova vizinha, de quem se torna amiga e confidente. É a partir desse mote que se desenvolve o monólogo, no qual Martha Meola dá vida a essa mulher encarcerada, sob a direção de Marco Antônio Pâmio. Esse é o primeiro de uma coletânea de textos sobre a condição feminina escritos e encenados em 1977 pelo casal Dario Fo e Franca Rame.

Artista/Coletivo: Martha Meola direção Marco Antonio Pamio

Data: 12.12

Horário: 20h

Experimento em Processo: De Dora por Sara

A partir do mergulho de Sara Antunes nos escritos de Maria Auxiliadora Lara Bracelos, a atriz-autora constrói um diálogo sensorial e íntimo com a estudante de medicina e sua mãe. O experimento faz parte da criação do espetáculo ainda em processo e compartilha trechos de escritos, cartas da prisão e cartas do exílio trocadas entre a guerrilheira Maria Auxiliadora Lara Barcelos e Clélia Lara Barcelos.

Artista/Coletivo: Sara Antunes

Data: 12.12

Horário: 20h

Amor Mundi

Amor Mundi se inspira na nossa relação de cuidado e responsabilidade com o mundo. É sobre ação que se faz em grupo, sobre risco, imprevisibilidade, codependência, eminência de colisão. Um desejo de insurgir, romper e deixar nascer o que não se sabe.

Artista/Coletivo: Fragmento de dança

Data: 12.12

Horário: 21h

Se Joga 180x260

Os (as) integrantes do Núcleo Ximbra se debruçaram nas experiências vividas dentro de seus territórios durante a pandemia, onde criaram as narrativas de como é ser um atrista periferique em suas casas. Os metros quadrados ali dados são as respostas das angústias corporais de cada um (uma). O espetáculo faz uma releitura de uma obra do grupo chamada ""Se Joga 2018"", realizada nos becos da Rua Ututu. Para este trabalho, apresenta-se uma nova versão, agora online, tratando outras perspectivas e narrativas periféricas.

Artista/Coletivo: Grupo Ximbra

Data: 12.12

Horário: 21h

Nunca Estive Aqui Antes

A primeira noite sozinha de Luisa nessa casa onde já morou tantas vezes, por acaso, na sua vida. Ela mora com uma outra Luiza, que viajou pela primeira vez, e o famigerado encontro com a sua própria solidão finalmente chegou. Ela precisa passar essa noite, de algum jeito. As memórias de todas as épocas nesse apartamento voltam em flashes que ela não consegue controlar, então resolve fazer uso disso para traçar a arqueologia do apartamento e do seu próprio medo.

Artista/Coletivo: Luisa Arraes e Nelson Baskerville

Data: 12.12

Horário: 22h

Doralice Senhora Meretriz

O solo é contado em primeira pessoa através das lembranças embaralhadas da personagem título, uma mulher já com seus 70 anos que ganha a vida nas ruas como prostituta. Doralice recorda momentos de seu passado e traz à tona sentimentos embasados em sua vivência no meretrício com assuntos divididos nos temas: desamor, solidão, sexo, morte, religião, fé e sobrevivência. A peça não retrata a prostituição na terceira idade e sim a vida de uma mulher que teve em sua trajetória o meretrício como escape para encontrar o seu lugar no mundo.

Artista/Coletivo: Glória Rabelo

Data: 12.12

Horário: 23h

Peça

O espetáculo, escrito e encenado por Marat Descartes dentro de sua casa, reflete a partir da linguagem documental sobre o contexto sociopolítico do Brasil e sobre as questões levantadas pela necessidade do isolamento social, como a suspensão do tempo, a crise de sentido e o desejo de um novo futuro.

Artista/Coletivo: Marat Descartes

Data: 12.12

Horário: 23h

A mulher que espera e aquele que vê

A mulher que espera e aquele que vê mostra uma mulher que engravidou de palavras não ditas, sonhos não vividos, bebês não nascidos. Uma mulher que engravidou de nãos. E um homem que, para ser, precisa vestir a pele do outro. Ele transita como um fantasma através de todas as histórias buscando a parte que lhe cabe de cada uma.

Artista/Coletivo: Cia Mungunzá

Data: 12.12

Horário: 22h

Pandas ou era uma vez em Frankfurt

A peça conta a história de um casal de desconhecidos que acorda na mesma casa. Ambos trazem apenas fragmentos da noite anterior e precisam um do outro para montar esse grande quebra-cabeça de sentimentos e memórias. Dialogando através do humor e mistura de elementos da cultura pop, internet, teatro e cinema com o nosso presente, a adaptação do texto traz essa tensão iminente que nos restringe a uma quarentena.

Artista/Coletivo: Nicole Cordery e Mauro Schames

Data: 13.12

Horário: 00h

(in) confessáveis

36 artistas de vários estados do Brasil fazem um confessionário on-line. Eles fazem relatos pessoais e reais, reais de outra pessoa do coletivo ou ficcionais. O público acompanha essas narrativas em três salas distintas enquanto tenta desvendar o que é verdade e o que é mentira. Ao final, as três plateias se juntam, virtualmente, ao coletivo inteiro e têm mais uma etapa da experiência.

Artista/Coletivo: Coletivo Impermanente

Data: 13.12

Horário: 00h

Em Análise

Partindo de problemas reais da população brasileira com o Auxílio Emergencial, o espetáculo virtual retrata de forma cômica e crítica o descaso das instituições públicas no atendimento ao cidadão. A peça se passa em um futuro próximo e apresenta um país ainda em estado de pandemia. As personagens Joy, Miguel, Tarcísio e Telma trabalham no fictício prédio de contas do Auxílio Emergencial do governo – uma central de atendimento ao cidadão com dificuldades em receber o benefício. Em meio ao caos no número de ligações e de beneficiários que reclamam estar com sua situação "em análise" há meses, todos os funcionários da instituição são surpreendidos com uma decisão da chefia: eles são obrigados a ficar em confinamento dentro da repartição, já que um funcionário está com suspeita de contaminação por um vírus desconhecido.

Artista/Coletivo: Magnólia Cultural (Lucas Sancho)

Data: 13.12

Horário: 1h

Novos Normais - Sobre sexo e outros desejos pandêmicos

20 atores levam à cena desejos e sentimentos represados que se manifestam em tempos de “novo normal”: o sexo, as carências de afeto e contato físico, as saudades das rotinas abandonadas, as compulsões adquiridas ou intensificadas pelas drogas lícitas e ilícitas e outros desejos e manias particulares.

Artista/Coletivo: Companhia de Teatro Os Satyros

Data: 13.12

Horário: 2h

As Palavras da Nossa Casa

Durante a pandemia, uma cantora famosa reencontra sua filha e seu genro através de um aplicativo de videoconferência. No encontro, revelam-se as mágoas, o amor e as perdas que unem e separam a família. O público testemunha a videoconferência das personagens como se estivesse flagrando a conversa de uma família verdadeira. Espetáculo imersivo virtual inspirado livremente em obras de Ingmar Bergman.

Artista/Coletivo: Núcleo Teatro Imersão

Data: 13.12

Horário: 3h

O presente de um passado futuro?

Espetáculo de mágica, computação gráfica e realidade aumentada para toda a família, independente da idade. Usa técnicas e ferramentas inéditas dentro da mágica e do entretenimento para criar poesia e encantamento dentro do ambiente virtual. São 20 números de mágica e 20 efeitos especiais inéditos no ambiente virtual ao vivo. Será um espetáculo de mágica, um filme, uma live ou uma palestra? O mágico está realmente ao vivo? Onde está a fronteira entre mágica e tecnologia? O espetáculo é baseado nessas múltiplas possibilidades de pontos de vista e na constante quebra de expectativas lógicas, fundamento dos números de mágicas, mas aplicado globalmente na criação dessa nova linguagem.

Artista/Coletivo: Celio Amino

Data: 13.12

Horário: 10h

Polaroides Secretas

Inspirada na obra de Andy Warhol, "Polaroides Secretas" retrata indivíduos solitários em uma sociedade líquida e midiática. Neste mundo, que um dia foi distópico, pessoas compartilham suas vidas para que elas tenham algum sentido.

Artista/Coletivo: Renato Andrade

Data: 13.12

Horário: 12h

Espetáculo de teatro virtual que conta a história do encontro de quatro familiares através de uma sala de reuniões online para acompanhar o desligamento dos aparelhos que mantêm uma integrante da família viva no hospital. Apenas um dos personagens está falando presencialmente do hospital, acompanhando o acontecimento. Os outros estão presentes de modo virtual, pois existe uma pandemia que os obriga ao isolamento. Conversando online, os familiares relembram histórias da parente hospitalizada, resolvem questões internas de relacionamento e fazem suas despedidas.

Artista/Coletivo: Alex Gruli

Data: 13.12

Horário: 13h

Desmarginação - Episódio 1

Em quatro episódios cênicos distintos, mulheres protagonistas trazem para si a palavra em relatos expostos na virtualidade. Em cena está a apropriação legítima e sensível do texto de mulheres diversas em corpos que buscam expandir dramaturgias nas realidades possíveis. No primeiro episódio, a partir de escritos de Cristina Peri Rossi, Lina Meruane, Samanta Schweblin e Yolanda Arroyo Pizarro, quatro atrizes encenam relatos adaptados numa tentativa de materializar imaginários possíveis em 2020.

Artista/Coletivo: Cia La Desdeñosa

Data: 13.12

Horário: 14h

Ser José Leonilson

Costura poética entre a vida e obra do artista plástico José Leonilson (1957-1993) e a biografia de Laerte Késsimos. Elaborado a partir dos depoimentos (biográficos e artísticos) do artista plástico brasileiro e registros sonoros feitos pelo próprio Laerte durante o processo de criação e pesquisa, o tecido que é alinhavado diante do público une as inquietações dos dois artistas: a feitura artística como um autorretrato, a casa de infância como um ambiente de domesticação, a sexualidade como campo de batalha, as pontes amorosas como uma travessia e a doença como uma reconciliação com nossa finitude.

Artista/Coletivo: Laerte Késsimos

Data: 13.12

Horário: 15h

A Festa de Aniversário Para O Amigo Que Foi Para Dublin?

Um grupo de pessoas se reúne para comemorar o aniversário de um amigo em comum. Entre drinks, músicas de festa e histórias que podem ou não ser inventadas, eles celebram mais um ano de vida - enquanto estranhos apagões assolam o mundo.

Artista/Coletivo: Pivotto

Data: 13.12

Horário: 16h

Uma cena de amor para Francis Bacon

Após viver uma situação de abuso, uma artista plástica elabora a experiência borrando os limites entre memória, imaginação e realidade, e transforma a própria vida em obra de arte.

Artista/Coletivo: Manás laboratório de dramaturgia

Data: 13.12

Horário: 17h

O Peso do Pássaro Morto

A história trata da vida de uma mulher dos oito aos 52 anos, desde as singelezas cotidianas até as tragédias que persistem, uma geração após a outra. Um texto denso e leve, violento e poético, onde acompanhamos uma mulher que, com todas as forças, tenta não coincidir apenas com a dor de que é feita. A história leva o leitor a acompanhar como a criança lida com a morte, uma adolescente com a violência sexual e a maternidade solo, e como uma adulta encara as perdas e a solidão.

Artista/Coletivo: Helena Cerello e Nelson Baskerville

Data: 13.12

Horário: 17h

Cabaret D'água

Primeira ação cultural do Coletivo Acuenda, que vem sendo desenvolvido desde junho de 2014. Ele consiste em um show de variedades artísticas, na qual predomina a linguagem drag. Desde o seu início, já foram realizadas mais de 100 edições, com apresentações de drags, dança, teatro, performance, além de enquetes, discussões e entrevistas sobre os temas propostos a cada edição.

Artista/Coletivo: Coletivo Acuenda

Data: 13.12

Horário: 18h

Siete Grande Hotel

O espetáculo apreende os caminhos de vidas esquecidas que ousaram e ousam percorrer o mundo contraditório da lembrança pelo esquecimento; mulheres e homens com a mesma sorte dos ventos, reinaugurando e refazendo essa ruína que é a memória, símbolo tão disputado pelos círculos de poder, que não se cansam de desenhar fronteiras com a velha trena de arame farpado. Nesta versão online, o público percorre o espaço do Grupo Redimunho de Investigação Teatral, acompanhando quatro cenas que contam um pouco das histórias dos personagens que habitam aquele lugar.

Artista/Coletivo: Redimunho

Data: 13.12

Horário: 18h